Páginas

terça-feira, 6 de setembro de 2011

|| Opinião || Adolescente de 16 anos confessa ter matado agricultor em Apodi


Na Tarde da ultima sexta feira (02), o agricultor Antonio Laurivan de Oliveira, de 45 anos, foi encontrado morto dentro do mercado público de Apodi, a princípio todos acreditavam que ele teria morrido de causas naturais, ninguém imaginava que Laurivan teria sido assassinado, porem a perícia realizada pelo itep apontou sinais de esganadura.
Depois de ouvir várias pessoas a policia conseguiu chegar até o responsável pela morte do agricultor, o mesmo foi localizado e conduzido até a delegacia, lá ele confessou a autoria do crime e disse ainda que uma rixa antiga foi o motivo dele  ter matado Laurivan, segundo o menor R.O.C.S., de apenas 16 anos, ele teria levado um tapa da vitima há alguns anos e não reagiu pois não tinha condições de se defender, porem “marcou” o agricultor e nessa ultima sexta feira teve a chance de se vingar. Ele relatou que deu apenas um soco na vítima que desmaiou na hora, o acusado roubou R$ 15 e ficou pelas imediações do mercado, até que soube que Antonio Laurivan teria morrido. O menor foi frio o bastante e ainda foi olhar o cadáver como se não soubesse de nada.
Essa foi a versão apresentada pelo acusado, porem está sendo contestada, pois a pericia realizada pelo itep aponta que a vítima foi estrangulada. Tudo indica que o menor cometeu um latrocínio, ou seja, ele matou para roubar. O acusado foi ouvido e logo após liberado, como determina a justiça.
Local do crime

Usando as palavras de um “Anônimo” que comentou no post anterior surge o questionamento: Será que a vida está valendo tão pouco?
A verdade é que hoje em dia crimes bárbaros como esse, ocorrem quase que diariamente, são mostrados em rádios, jornais e TVs e as pessoas pouco se comovem ou se assustam com isso, o que é muito preocupante já que a banalização do crime é ruim, principalmente quando se torna uma coisa natural.
Caro leitor, gostaríamos de contar com a sua colaboração, deixe sua opinião nos comentários!

7 comentários:

Anônimo disse...

O ser humano é sem dúvida o grande culpado pelo crescimento dos níveis de violência que ocorrem na sociedade. E o pior é que não existe mais essa história de dividirmos em classes sociais, a violência está em toda parte, sem distinção alguma.
é uma pena e um enorme absurdo... não podemos deixar passar !

CARLOS disse...

CARRO TOMADO DE ASSALTO,FIAT UNO MILE FIRE FLEX COR AZUL MARINHO COM PLACA DA CIDADE DE PORTO DO MANGUE (HYB-5273) ANO 2007/2008 QUEM TIVER ALGUM PARADEIRO LIGAR PARA (84-8834-0203 OU 84-3316-2364)FALAR COM JOZIMAR.

Anônimo disse...

Nossa, que absurdo... hoje em dia uma vida está valendo tão pouco assim?
ele matou um trabalhador e não vai receber nem um tipo de punição !

Anônimo disse...

isso é culpa das leis , esse nosso Brasil é uma vergonha !!

Anônimo disse...

É UMA VERGONHA ELE JÁ TA SOLTO ??

Anônimo disse...

Isso ai são as "CRIANÇAS" que tanto o nosso ECA defendi, que são acobertados por esse DIREITOS HUMANOS, que só existe pra marginal. Imagina se fosse o contrario policial militar fere e mata menor em troca de tiros, nessa hora o policial estava sendo processado, os direitos humanos já tinha caído em cima desse pobre. Mais e um vagabundo marginal que mais uma vez tirou a vida de um trabalhador, e que horas depois sai pela porta da frente da delegacia rindo, de toda a sociedade e dos próprios responsáveis por sua prisão. E isso são nossas leis, que mais do que nunca acobertam essa massa de vagabundo que ponhe culpa nas drogas para se safar, AS DROGAS REALMENTE E O MAL DO SECULO, MAIS NÃO ME VENHA DIZER QUE ELA E A CULPA DE TUDO, SE VOCÊ QUISER SER GENTE VOCÊ NÃO A USA. Nessa hora e meus pesamos para a família que perdeu um ente querido, e meus parabéns para esse marginal que mais uma vez, pinta e borda diante de nossas leis, que futuramente fará outra vitima, porque esta acobertado pela lei, a nossa sociedade aceita, vota pra colocar a outra massa de vagabundo de colarinho branco naquela assembleia.

Anônimo disse...

Ecaaaaaaaaaaaaa!!!!! É isso aí.